"Como candidato à Prefeitura de Goianira, Goiás, quero dizer que: tenho muitos projetos planejados para serem desenvolvidos e implementados a favor do meio ambiente que beneficiarão a toda comunidade goianirense, e, foram idealizados pelo amor que dedico a nossa cidade e pela preservação da natureza, sempre com a preocupação voltada ao bem estar das futuras gerações."

Quem sou eu

Minha foto

Uma pessoa que trabalha em prol dos menos favorecidos e luto juntamente com aqueles que procuram fazer da cidade de Goianira, um lugar melhor para morar.

Imprimir ou Salvar em PDF

Print Friendly and PDF

Tradutor

Pesquisar este blog

sábado, 23 de julho de 2016

Nascentes - importância de sua preservação para a cidade de Goianira



Todas as vezes que os moradores goianirenses percebem que uma empresa está invadindo a área de preservação ambiental ou desmatando a flora nativa, eles procuram por Marcão Publicidades e se queixam, sabendo que como protagonista ativo da proteção do meio ambiente, serão tomadas as providencias de registros por fotos, vídeos e encaminhado ao Ministério Público para que as obras que estão prejudicando as nascentes sejam embargadas.
Mas afinal qual é a verdadeira importância de se preservar as nascentes urbanas? E porque devemos valorizar as nascentes de Goianira?
Em virtude de se ter uma preocupação como em desfrutar uma boa água para o consumo, faz necessário que se preserve as nascentes dos mananciais e em especial as nascentes urbanas.

As bacias, principalmente as cabeceiras, devem ser tratadas como algo de mais importante que existe em uma propriedade, pois são elas as responsáveis pela existência das nascentes que, por sua vez, são fontes de água valorosas para a humanidade. Uma nascente, também conhecida como olho d’água, mina 

d’água, fio d’água, cabeceira e fonte, nada mais é que o aparecimento, na superfície do terreno, de um lençol subterrâneo, dando origem a cursos d’água. Uma das principais causas que prejudicam o curso natural das nascentes são:
Mau planejamento na construção de estradas: a maioria das estradas construídas nas áreas de encosta não passou por um planejamento adequado, visando à proteção das nascentes.
Loteamentos em locais impróprios: o crescimento desordenado, sem um planejamento adequado, faz com que, nas periferias, aglomere-se um grande número de moradias sem o mínimo planejamento, para a proteção das pessoas e a preservação do meio ambiente. Desses aglomerados, decorre a compactação do solo, a erosão e o assoreamento dos cursos d’água.
O processo de recuperação e conservação das nascentes consiste, basicamente, em três fundamentos básicos: proteção da superfície do solo, criação de condições favoráveis à infiltração da água no solo e a redução da taxa de evapotranspiração.
Uma série de cuidados pode evitar o problema, ou até mesmo revertê-lo. Faça a sua parte.
• Optar pelo plantio em 
curva de nível ajuda na conservação do solo e da água. Com esse sistema, cada linha de planta forma uma barreira, diminuindo a velocidade da enxurrada.
• Usar defensivos em excesso contamina o solo e a água que está no lençol freático. Sempre que for necessário o uso desses produtos, peça a orientação de um técnico.
• Cercar as nascentes ajuda a protegê-las, por exemplo, do acesso de animais. Quando animais passam por esses lugares, acabam pisoteando e compactando o solo, dificultando a infiltração das águas da chuva.
• O uso de matéria orgânica, como palha, é uma opção. Quando apodrece, favorece  a proliferação dos microrganismos que vivem na terra, melhorando assim as condições de infiltração e armazenamento de água no solo.
• É importante que o solo sempre esteja protegido, seja por vegetação ou matéria orgânica. Isso faz com que o impacto das gotas de chuva no solo sejam menores, preservando-o.
• Mantenha as matas dos morros e encostas, pois é onde as águas da chuva começam a ser retidas. Se esses espaços forem usados para atividades agropecuárias, o ideal é construir curvas de nível e bacias para captação e infiltração das águas pluviais.

• A mata ciliar, como é chamada a vegetação que fica às margens dos rios, é muito importante, por evitar o desbarrancamento das margens que causam o assoreamento. Existe, inclusive, uma lei específica para a preservação desses espaços. Especialistas ressaltam que não deve ser feito, esse tipo de plantio não deve ser feito em cima da nascente. Outra dica importante é que, ao fazer a recuperação da vegetação, plante novas mudas, optando pelas espécies nativas da região. 

Um Projeto que está sendo implantado é o Projeto Hidroambiental: “Valorização das Nascentes Urbanas”, acessem o site: PROJETO DE VALORIZAÇÃO DAS NASCENTES URBANAS

Ao perguntamos ao Pré-candidato à prefeitura de Goianira, Goiás, qual foi seu posicionamento diante das várias irregularidades feitas por empresários do município, como atual fiscal ambiental, ele nos disse o seguinte:
 O Ministério Público convidou no ano de 2002 várias Organizações para pertencerem ao Projeto Ser Natureza, que tinha como intuito a Porta de entrada da sociedade até ao próprio Ministério. Sendo o primeiro Projeto a Revitalização da Nascente do córrego Boa Vista, naqueles dias o empreendedor construiu em cima da nascente, e foi feito um vídeo mostrando que a nascente estava brotando dentro de uma casa, apresentou-se esse vídeo ao Ministério Público, aos vereadores e também ao prefeito, o prefeito foi juntamente com o promotor, sendo exigido por documento de Código de Postura que a moradora fosse retirada e transferida para outro local, logo em seguida foi comunicado a promotora onde a mesma disse ao prefeito que ainda estava incorreto o local onde o prefeito havia feito a casa para a moradora, pois a nascente ficava 15 metros de distância, sendo que, naquela época deveria fica a 100 metros das margens da nascente. Foi realizado a primeira audiência pública onde a promotora fez um termo de reajuste apresentando uma proposta, para que o empreendedor desapropriasse 23 lotes para serem desapropriados, e na Segunda audiência o empreendedor já havia aceitado tal proposta de desapropriação. 
Marcos Antônio de Paula (MarcãoPublicidades), apresentou um Projeto que diz sobre a REVITALIZAÇÃO DA NASCENTE E REFLORESTAMENTO SUSTENTÁVEL, onde foi feito o primeiro plantio de 2.500 mudas de reflorestamento, sendo que 70% das mudas morreram por falta de cuidados, então foi proposto uma reunião com a promotora expondo a necessidade de ter uma pessoa para tomar conta do local, e fazer o plantio de milho e mandioca, além de cuidar do que já estava plantado, hoje o Projeto alcançou seu objetivo, pois tornou-se uma mata. 
A partir desse Projeto foi idealizado outros Projetos tais como: a revitalização do córrego Taperão no setor Montreal, revitalização de um Olho d’água do córrego Boa Vista, revitalização da nascente do setor Lago Azul, revitalização da cabeceira do São Diego onde foi plantado 500 mudas para o reflorestamento.
Projeto Impacto Ambiental, revitalização da avenida E, onde foi plantado 155 mudas de Ipé, com a participação da professora Nilda e seus alunos da Escola Padre Pelágio, esse fia foi um marco muito importante, até o momento o Projeto foi bem sucedido.

Fonte utilizadas: Silvana Teixeira, " Nascentes - importância, processo de recuperação e conservação da água." Página consultada dia 23 de julho de 2016, <http://www.cpt.com.br/cursos-meioambiente/artigos/nascentes-importancia-processo-de-recuperacao-e-conservacao-da-agua>.
Hoken, "Nascentes e manaciais: a morada da água." Pagina consultada dia 23 de julho de 2016, <http://www.bloghoken.com.br/nascentes-e-mananciais-a-morada-da-agua/>.



Nenhum comentário:

Postar um comentário